Monthly Archives: April 2014

Cada um carrega sua cruz

Quando espiritualizei-me, descobri o que é vida. Aprendi que fé é acreditar em algo que não existe. Cada um carrega um Deus dentro de si. Possuir e sentir a alma é o divino, é a dádiva reciproca da vida. Vida esta que contém tudo e não está contida em nada. Descobri que a intensidade da vida está além do nosso agir. É muito mais o sentir do que qualquer outra ação. Quem sente o fogo que há internamente sente-se vivo. Atravessa a alma, queima. Alucina o animal em mim que vive e ferve nesse ritual.
Existe algo que nunca morre e responde por espírito. Este habita um corpo físico que um dia morre, um dia para. Um dia, simplesmente, voltará a ser pó. Enquanto isso, o espírito se mantém eternamente. ELE é um processo de mudança contínua. ELE está em evolução o tempo todo e apenas descansará quando se preencher de tudo aquilo que necessita. A morte não é um final, é apenas um recomeço. O espírito só descansará quando purificar a alma e desenvenenar a mente. Quem se prende ao passado morre, eu aprecio o movimento. Pedra que não rola, cria limo.
Deixei de ser um escravo da religião e tornei-me um escravo do processo natural. Sigo e deixo de ser otário, é a evolução natural. Eu que não pago mais de escravo espiritual, efeituei uma revolução pessoal. Eu percorro esta estrada que não tem saída procurando o sentido que devo dar há algo que não tem sentido algum. Olho vivo e faro fino.
Esse ritual é uma grande onda que me faz seguir nesse vasto oceano. Estou aqui para viver e sentir e aos céus pedir proteção. Por tudo que já passamos, a festa já vai começar. Entrei na dança. Toma cuidado para não me afogar, abro a mente para poder te encontrar. Nesse desafio, eu me equilíbrio, enquanto essa vida insana flui. Procuro por algo real que me faça continuar aqui.